Preservação
» Home » Preservação » Projetos Ecológicos do Instituto » Projeto Mamirauá
Apoio aos Projetos Ecológicos
Projeto Mamirauá
Projeto Mamirauá

Projeto Mamirauá

Atua na implantação da Estação Ecológica Mamirauá, a maior floresta submersa do mundo, localizada na região central da Amazônia. É o maior projeto de preservação de florestas tropicais do planeta.

Origem e objetivos - Em uma região central da Amazônia encontra-se a maior floresta tropical submersa do mundo - 1,2 milhão de hectares de terra e água -, protegida, desde 1990, como reserva pela Estação Ecológica Mamirauá (peixe-boi em Tupi).

O Projeto Mamirauá surgiu como uma proposta para elaborar o Plano de Manejo da Reserva e realizar a real implantação da Estação Ecológica Mamirauá. Em 1992, um grupo de pesquisadores de várias áreas criou a Sociedade Civil Mamirauá, cujo principal objetivo está ligado à realização dos objetivos do Projeto Mamirauá. Dessa forma, a Sociedade Civil Mamirauá tem possibilitado a garantia da continuidade, no longo prazo, das atividades do Projeto Mamirauá, com certo nível de independência e segurança financeira.

Atuação do projeto - A estrutura administrativa do Projeto Mamirauá conta com escritórios em Tefé e Belém. O pessoal de campo fica instalado em quatro casas flutuantes e conta com o apoio de rádios, lanchas, barcos a motor e canoas, além de outros equipamentos para pesquisa. É com essa infraestrutura que os pesquisadores do Projeto Mamirauá - em torno de 80 participantes e colaboradores das mais diversas áreas de atuação, como biólogos, zoólogos, ecólogos, ornitólogos, entomologistas, antropólogos, etnólogos, nutricionistas, sanitaristas, advogados, fotógrafos, artistas plásticos etc. - estão elaborando o Plano de Manejo da Estação.

Uma das grandes diferenças, desse para os outros projetos em reservas ecológicas, é que o Plano de Manejo do Projeto Mamirauá visa preservar, não só as árvores, macacos, peixes e aves, como também a população ribeirinha local. Através de orientação e da educação ambiental, com ênfase nas melhores formas de exploração e utilização racional de fontes naturais, como a madeira e o peixe, os pesquisadores do projeto pretendem manter as comunidades nos locais onde vivem e contar com elas para a fiscalização e preservação de toda a área da reserva.

Atualmente a Estação Ecológica Mamirauá é formada por três áreas bem definidas. Uma de preservação permanente, com entrada restrita, outra de uso para as comunidades e uma terceira de controle ambiental que servirá de parâmetro para tentar barrar os efeitos predatórios na área utilizada para subsistência pelos moradores locais.

O resultado de tudo isso deverá ser um "guia" para o controle do perfeito equilíbrio da região e, muito provavelmente, um modelo de preservação amazônica sem desapropriação ou marginalização da população nativa.

Visite o site do Projeto Mamirauá em http://www.pop-tefe.rnp.br.



Telefones: (21) 3734-7618 / (21) 98464-7618